Header Ads

header ad

Zrro: o projeto que ajudou a afastar consoles do Kickstarter

Em 2015 tudo parecia muito favorável para um projeto como o do Zrro, console indie baseado em Android. O Kickstarter, plataforma para financiamentos coletivos, vivia seus dias de ouro e criadores de games já haviam se acostumado a recorrer à plataforma para tirar seus projetos do papel.

"Se segura Sony, o Zrro vem aí!"
Até então, nenhum projeto havia sido mais audacioso que o Ouya, console indie baseado em Android e também financiado através do Kickstarter em 2012 e lançado em 2013.

O Ouya ganhou o status de "concorrente correndo por fora", naquela geração formada por Wii U, XBox One (não o One X) e PlayStation 4 (não o Plus). Mas isso também não durou tanto.

Um dos grandes diferenciais do Zrro seria oferecer uma experiência de touchscreen semelhante à dos jogos de celular mas ampliada à tela da televisão, o que logo seduziu muita gente.

Controlando CJ de GTA: San Andreas com um joystick touchscreen.

Mas quando o Zrro conseguiu se financiar, o próprio Ouya já não ia bem das pernas. Sucedido por vários outros consoles com o mesmo fim, tal como o M.O.J.O., da Mad Catz, o Ouya não foi tanto além de seu buzz, embora não tenha sido descontinuado até hoje. 

Apesar dessas especulações, os israelenses por trás do Zrro não deram muitos detalhes de porque não levaram o projeto a diante, mesmo depois dele conseguir financiamento no Kickstarter.

O trailer alfineta o Ouya, mas o Ouya saiu do papel ¯\_(ツ)_/¯

O dinheiro dos colaboradores começou a ser devolvido ainda no final de 2015, e os comentários de antigos fãs descontentes não são nada bonitos de se ler, até porque houve uma demora entre o console não chegar em casa e a empresa anunciar o projeto abortado. Foi o triste fim de um projeto promissor.

Depois do Zrro, o Kickstarter viveu um hiato de novos projetos de consoles. Os projetos lançados mais recentemente são bem mais modestos. É o caso do RetroStone, cuja campanha de financiamento foi lançada em fevereiro de 2018.

O RetroStone é um console portátil de jogos retrôs, que pode ser transformado em console de mesa graças a 4 entradas USB, uma para HDMI, além de outra entrada para cartões SD. 

RetroStone: parece o Beemo de Hora de Aventura, mas é um console mesmo.
É um projeto compacto, de custo não tão alto e focado mais em criar facilidades do que apelar a grandes objetivos. Talvez tenha sido esse o erro do Zrro. 

[Com imagens de Kickstarter e Mashable].

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.