Header Ads

header ad

Papo sério: Por que usar cheat até em jogo fácil?

Ultimamente, tanto em meu Twitter pessoal como no twitter do site (aliás, siga e curta no Facebook 😉), eu tenho visto retweets de algo que, na falta de palavra melhor, vou chamar de "incrível". Usuários oferecem hacks de jogos fáceis como Beach Buggy Racing ou até casuais como Subway Surfers e Candy Crush Soda Saga.

Aplicativo tornando o jogo Candy Crush Soda Saga ainda mais inútil.

Vamos tirar um pouco o véu da hipocrisia e admitir que quase todo mundo, em algum momento da vida, já usou cheats, jogo hackeado baixado do Pirate Bay, ou qualquer coisa que equivalha. Do ponto de vista dos produtores, iniciativas como Steam e Origin deram uma aliviada nisso, mas nem vamos entrar nesse aspecto.

Eu passei boa parte dos anos 2000 ouvindo falar sobre "códigos secretos" para destravar super habilidades em RPGs e jogos de tiro em primeira pessoa, predominantemente. Os códigos de GTA: Vice City, não podemos esquecer, chegaram a quase estabelecer uma subcultura, já que muitos eram formados por frases engraçadinhas.

Para andar de tanque em GTA Vice City bastava digitar "PANZER", um dos dezenas de códigos secretos que faziam sucesso na hora do recreio nos anos 2000.

Não vou defender cheat algum aqui (até porque se fizer isso posso receber a visita do Processinho), mas será que não chegamos longe demais com destravamentos de jogos casuais como Candy Crush Soda Saga? Para quê alguém realmente precisa ter vidas infinitas no jogo? — que, afinal, já oferece vidas infinitas gratuitamente por horas, a depender de suas conquistas, além de pacotes pagos bastante baratos.

E no caso de Subway Surfers — que a mim parece um dos jogos mais fáceis de se enjoar —, onde há quem prometa ser possível destravar tudo, que desafio e motivações restarão a alguém para que jogue o jogo?

Parece que chegamos a um nível de mimo tão grande, falando em sociedade como um todo, que isto já se reflete nos hábitos de consumo de jogos digitais — e na produtividade, por que não? Talvez seja um bom momento para abandonar o leite com pera.

Leitura recomendada: o site O Super Nerd tem um artigo de 2015 em que ele cita, exatamente, o que chama de "Geração Leite com Pera". Não chega a falar nos cheats, mas traz uma perspectiva bem sincera sobre o assunto.

App promete trapaças em jogo de corrida fofinho.

Ok, vamos ser realistas e admitir que códigos e cheats de todos os tipos sempre existirão. Entretanto, o costume de usar trapaças até em jogos fáceis e gratuitos além de abrir à possibilidade de você ser banido de um jogo por bobagem, ainda te deixará despreparado para jogos que realmente demandem algo mais de você.

É de se esperar, porém, que quem recorre a códigos até em jogos fáceis não dê a mínima para jogos desafiadores.

Quem precisa ficar de olho nisso, afinal, são os produtores de jogos. Esse não é um mercado inexplorado, e essas pessoas não representam um filão de consumidores. Um produtor que supuser que pessoas que usam cheat em jogos fáceis representam um público ainda não representado por jogo nenhum, poderá cair no erro de criar algo para um "não-público" que não irá gerar renda ou relevância alguma para seu jogo.

E o mercado e a cultura gamer precisam de mais respeito de quem está inserido neles, para que possa merecer o respeito de quem não está.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.